Internacional

Espanha envia tropas para conter chegada de milhares de migrantes em Ceuta

Jovens migrantes chegam em Ceuta, Espanha, 19 de maio de 2021 (Foto: Reprodução/Twitter/Sophie Garratt)

Oito mil cidadãos africanos cruzaram o mar que liga a Espanha a Marrocos a nado em meio a crise diplomática entre países

A Espanha ordenou tropas do exército para manejar o retorno de 8 mil migrantes vindos do Marrocos desde segunda (17) em Ceuta. Madri afirmou que metade dos recém-chegados já foram enviados de volta ao país de origem, registrou a BBC.

Mais de 1,1 mil policiais já estão em Ceuta, disse o ministro do Interior, Fernando Grande-Marlaska. A região de 80 mil pessoas – a maioria migrantes – atrai africanos que tentam chegar na Europa.

Famílias inteiras atravessaram a pé os cerca de dez quilômetros do mar que separa a Espanha do Marrocos durante a maré baixa. Pelo menos 1,5 mil migrantes são menores de idade. Voluntários da Cruz Vermelha lutaram para atender a multidão que chegava exausta. Um jovem morreu afogado e vários foram atendidos com hipotermia.

O fluxo é resultado do afrouxamento dos controles fronteiriços por Rabat em meio a uma crise diplomática com a Espanha. Em abril, o país europeu autorizou que o líder da Frente Polisário, Sahrawi Brahim Ghali, 73, fosse internado para se recuperar da Covid-19 em um hospital de Logroño.

Em resposta, o governo marroquino anunciou que a autorização traria “consequências”. A Frente Polisário está em conflito com o Marrocos desde novembro, quando um impasse na região de Guerguerat reacendeu 30 anos de disputas. O grupo quer a independência do território anexado após a queda da Coroa Espanhola, em 1975.

Acordo

Nesta terça-feira, o primeiro-ministro espanhol, Pedro Sánchez, viajou para Ceuta e Melilla para lidar com a crise. O governo marroquino não respondeu aos pedidos de comentário da Associated Press.

Sánchez recusa que o governo marroquino tenha afrouxado as regras de fronteira como uma retaliação diplomática. Em abril, porém, pouco mais de 100 migrantes cruzaram o mar em direção a Ceuta.

Marrocos e Espanha assinaram um acordo há três décadas para expulsar todos aqueles que nadam pelo mar para chegar na Europa. Ainda assim, muitos africanos subsaarianos usam a rota para fugir da violência e pobreza que acomete a região.

O presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, apoiou a tentativa de solução da crise de Sánchez. “As fronteiras da Espanha são as fronteiras da União Europeia”, escreveu no Twitter.

Espanha envia tropas para conter chegada de milhares de migrantes em Ceuta
Clique aqui para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Most Popular

Topo