juliotake

Outubro Rosa: a hora de retomar os cuidados com a saúde das mamas

Depois do período de pandemia, o momento é de retomada dos cuidados com a saúde das mamas, atualizando os exames de rastreamento e check-ups periódicos, respeitando os protocolos de segurança. Quando descoberto em estágio inicial, o câncer de mama tem chances de cura de até 95%.

Recife, Pernambuco 8/10/2021 – É tempo de viver. Precisamos retomar os cuidados com a saúde e, cada vez mais, valorizar o autocuidado, a vida, o hoje”, ressalta a médica Mirela Ávila

Depois do período de pandemia, o momento é de retomada dos cuidados com a saúde das mamas, atualizando os exames de rastreamento e check-ups periódicos, respeitando os protocolos de segurança. Quando descoberto em estágio inicial, o câncer de mama tem chances de cura de até 95%.

É tempo de voltar a se cuidar. Depois de um período de maior isolamento social devido à pandemia da Covid-19, agora, com vacinação mais ampla da população, o momento é de retomada dos cuidados com a saúde das mamas, atualizando os exames de rastreamento e check-ups periódicos, respeitando os protocolos de segurança. Neste Outubro Rosa, a principal mensagem de especialistas é de que não é mais possível atrasar o autocuidado. Afinal, o atraso no diagnóstico do câncer de mama é considerado o maior empecilho para a eficácia do tratamento e o alcance da cura.

Um levantamento realizado pela Fundação do Câncer, com base em dados do Sistema Único de Saúde (SUS), apontou uma queda de 84% no número de mamografias feitas no Brasil durante a pandemia do novo coronavírus, em comparação ao mesmo período no ano anterior. A ONG Oncoguia estima que a pandemia pode ter deixado 4 mil casos sem diagnóstico no país, considerando que cerca de um milhão de mulheres deixaram de fazer exames preventivos. Ao mesmo tempo, no Brasil, o INCA (Instituto Nacional de Câncer) estima que cerca de 66 mil novos casos da doença deveriam ser registrados em 2021.

A pandemia da Covid-19 atrasou diagnósticos. O número de mamografias realizadas na rede pública diminuiu 42% em 2020 na comparação com o ano anterior, caindo de 1.948.471 em 2019 para 1.126.688 no ano em que a pandemia começou. A diferença de 800 mil exames não realizados em 2020 deve significar algo em torno de 4 mil casos de câncer de mama não diagnosticados no ano passado, considerando estimativas da taxa de detecção da doença nas mamografias digitais (em média de 5 casos detectados para 1000 exames).
 
“A mensagem que queremos deixar, neste Outubro Rosa, é de que é tempo de voltar a se cuidar. Precisamos retomar os cuidados com a saúde e, cada vez mais, valorizar o autocuidado, o amor-próprio, a vida, o hoje”, ressalta a radiologista e diretora médica do Centro Diagnóstico Lucilo Ávila, Mirela Ávila. Movimento internacional de conscientização para o controle do câncer de mama, o Outubro Rosa foi criado no início da década de 1990 pela Fundação Susan G. Komen for the Cure. É celebrado anualmente, com o objetivo de reforçar o combate ao câncer de mama, compartilhando informações e promovendo a conscientização sobre a doença; proporcionando maior acesso aos serviços de diagnóstico e de tratamento, contribuindo para a redução da mortalidade. Quando descoberto nos estágios iniciais, a chance de cura do câncer de mama é de 95%.

Campanha 

Durante o mês de outubro, o Lucilo Ávila realiza a campanha “É tempo de viver”, enfatizando que é tempo de se cuidar e voltar a realizar exames de rastreamento, além de cuidar dos outros, compartilhando informações sobre a importância das ações preventivas e buscando ampliar o acesso ao diagnóstico para todas as mulheres. Como parte da campanha, o centro diagnóstico vai doar 50 exames (30 mamografias e 20 ultrassonografias mamárias) para o Instituto Cristina Tavares, ONG pernambucana que apoia pacientes com câncer, em parceria pela ação social “Preventivo Móvel”, que levará exames de prevenção (ginecológico e das mamas) para mulheres de comunidades carentes.

O Lucilo Ávila doará 30 mamografias às ações sociais da Casa Rosa, ONG que oferece assistência a mulheres em situação de vulnerabilidade social do interior de Pernambuco e que precisam realizar tratamento de radioterapia e quimioterapia contra o câncer de mama nos hospitais públicos do Recife.  Também será feita doação de mamografias gratuitas às mulheres das famílias assistidas pelo Instituto JCMP, no Pina.  Além de contribuições ao Calendário das Guerreiras, para ajudar na compra de um mamógrafo para o Hospital Universitário Oswaldo Cruz (HUOC) e ao evento Almoço Rosa, que tem por finalidade arrecadar verba para realizar melhorias nos setores de mastologia e oncologia do HUOC.

Ação social

O Instituto Cristina Tavares, com apoio do Lucilo Ávila, realiza, neste mês de outubro, o “Preventivo Móvel”. A ação vai levar exames preventivos para mulheres do Centro de Abastecimento e Logística de Pernambuco (Ceasa-PE): funcionárias, comerciantes, frequentadoras. Posteriormente, os atendimentos médicos itinerários serão realizados em outras comunidades e bairros do Recife. A primeira ação acontecerá na sede da Assucere, no Ceasa, no dia 8 de outubro, das 8h às 12h, e será repetida quinzenalmente. O Preventivo Móvel também conta com a parceria do Centro Integrado de Citopatologia e Colposcopia (CICC).

A ação irá levar às comunidades do Recife exames de prevenção de colo de útero (Papanicolau) e avaliação clínica das mamas. Os exames serão realizados por médicos voluntários no local e, ao perceber uma alteração ou a necessidade de prosseguir a investigação através da realização de exames de imagem das mamas (mamografia e/ou ultrassonografia), as mulheres receberão um voucher de encaminhamento a uma unidade do Centro Diagnóstico Lucilo Ávila para realizar o(s) referido(s) exame(s) gratuitamente. A mulher deve agendar o exame previamente, seguindo as orientações que estão no voucher recebido. Elas terão até um mês para realizar os exames.

Detecção

Método mais sensível para a detecção do câncer invasivo, a ressonância magnética tem sido cada vez mais indicada na investigação de lesões. Assim como a mamografia e a ultrassonografia, é um dos exames utilizados para avaliação das mamas. Entre as diferenças, porém, estão a ausência de radiação e a utilização do contraste venoso, permitindo maior exatidão e aumentando a detecção de lesões. A partir deste mês de outubro, mulheres residentes em Pernambuco e de estados vizinhos que fizerem ressonância magnética como exame das mamas, podem, caso uma lesão seja detectada, passar por uma biópsia guiada pelo método. Antes, o estado só contava com biópsias dirigidas por ultrassom ou mamografia.

De acordo com a radiologista Mariana Falcão, da equipe do  Centro Diagnóstico Lucilo Ávila, o exame é feito no aparelho de ressonância, com a paciente posicionada dentro de um tubo, em decúbito ventral e com as mamas pendentes, sem compressão das mesmas. O procedimento dura em torno de 20 a 30 minutos. “Para um estudo eficaz na avaliação do tecido mamário, deve ser realizado injetando-se o contraste na veia, que permite detectar áreas ou lesões mais ativas, ou seja, aquelas que podem representar tumores muito iniciais ou mesmo lesões pré-cancerígenas, que acabam sendo visualizadas apenas na ressonância nesse estágio precoce”, explica.

História

Com um corpo médico com mais de 40 profissionais e 42 anos de experiência, o Centro Diagnóstico Lucilo Ávila atua na área de prevenção e diagnóstico das doenças da mama, sendo o único centro de Pernambuco que dispõe de todas modalidades de imagem e intervenção para identificar patologias mamárias. O Lucilo Ávila foi pioneiro em vários procedimentos nessa especialidade na região, trazendo inovações como a mamografia 3D (tomossíntese) em 2013, a mamotomia em 2014 e a biópsia mamária guiada por ressonância magnética em 2021. O setor de Imagem da Mama é dirigido pela médica radiologista Mirela Ávila. 

 

Website: http://www.luciloavila.com.br

Clique aqui para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Most Popular

Topo