Brasil

Vereadores cobram agilidade da Prefeitura para evitar a perda de R$ 300 mil em recape e pavimentação

Etapas precisam ser concluídas com urgência, para que recursos junto à Caixa sejam liberados; Valores são para obras em diversos pontos da cidade

O Município de Mandaguari pode perder mais de R$ 300 mil para investimentos em recape asfáltico e pavimentação. Isso porque, de acordo com informações da Caixa Econômica, há três contratos que estão dependendo de etapas a serem cumpridas pela Prefeitura para que os recursos sejam liberados na totalidade, mas o prazo está acabando.

Por essa razão, vereadores componentes da Mesa Diretora e das comissões permanentes da Câmara Municipal estiveram na Gerência Executiva de Governo da Caixa, em Maringá, nesta terça-feira (8). No local, procuraram entender a situação de cada contrato do município, conferir os prazos e as pendências e identificar caminhos para garantir que a cidade não perca os recursos.

“Ficamos muito preocupados com essa situação, porque os moradores esperam tanto por melhorias e, se o Executivo não agilizar, esses valores podem ser perdidos”, destacou o vice-presidente da Câmara, Eron Barbiero (PSB). “Há muitos lugares que necessitam de asfalto ou de recape e essas verbas já estão disponíveis; só falta a Prefeitura fazer a sua parte em tempo hábil”, complementou o vereador Chiquinho (PSD).

OS CONTRATOS

São três os contratos junto à Caixa que têm gerado preocupação. O primeiro, sob o número 1065730-29, prevê o total de R$ 573 mil para obras de recape asfáltico nos bairros Esplanada, Jardim Imperial, Vila Verde e Centro. O valor se refere a uma emenda parlamentar do deputado federal Sergio de Souza (MDB-PR) e foi conquistado com intermédio dos vereadores, que estão preocupados com a possibilidade da perda. A Prefeitura já enviou ao órgão competente o projeto respectivo, porém com informações parciais sobre a previsão de vias contempladas. Com isso, cerca de R$ 173 mil podem acabar voltando ao Ministério das Cidades. O prazo final para que o Executivo complemente as informações é 28 de julho de 2021.

O segundo, 1065855-71, com o valor de R$ 286.500,00, está previsto para pavimentação da Rua Padre Max Kaufman. Apesar do prazo apertado, que vence, também, em 28 de julho, o projeto já foi enviado de forma completa pelo Executivo e a análise técnica da Caixa já está em nível avançado.

Já o terceiro, 1029015-15, refere-se ao valor de R$ 592 mil, para a pavimentação da Avenida Chaker Abrahim. Do valor total, há R$ 140 mil ainda pendentes de informações, para que sejam liberados. De acordo com dados da Caixa e do Executivo, essa obra está no setor de licitação da Prefeitura. O prazo máximo para a conclusão das etapas é 30 de junho deste ano.

Os três contratos, juntos, somam quase R$ 1,5 milhão, sendo que, desse total, aproximadamente R$ 313 mil correm o risco de devolução ao Governo Federal.

BUSCA POR SOLUÇÃO

De posse dos documentos, das informações e orientações da Caixa, os parlamentares elaboraram um ofício, que foi entregue à Prefeitura, reforçando os detalhes da situação e cobrando providências urgentes. “O nosso objetivo é contribuir para que os recursos destinados a Mandaguari sejam usados na totalidade, porque isso trará desenvolvimento e qualidade de vida para a nossa gente”, disse o vereador Sebastião Alexandre (MDB).

Participaram da reunião na Caixa, com a coordenadora de filial Ana Eliza Ribeiro, os vereadores Eron Barbiero, Sebastião Alexandre e Chiquinho. Além dos três, também assinaram o documento de cobrança à Prefeitura o presidente da Câmara, Alécio do Cartório (PSD) e o vereador Daniel Gambá (PL). A Câmara aguarda, agora, respostas do Executivo e continuará acompanhando o caso.

Vereadores cobram agilidade da Prefeitura para evitar a perda de R$ 300 mil em recape e pavimentação
Clique aqui para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Most Popular

Topo