Educação

Ratinho Junior e seu vassalo, Renato Feder, acabam com o recesso escolar

Desde o início de mandato desse desgoverno do estado, os professores paranaenses vêm sofrendo assédio, para passar por cima da legislação.  O aparato do estado deveria ser de usar a estrutura para o ensino e não é o que vem acontecendo dentro dos muros das escolas estaduais. A última do secretário da educação é acabar com o recesso escolar, as festas de dezembro, não permitindo que os professores se recuperem e descanse totalmente da pressão sofrida durante o ano letivo. Cogitou-se que seria transferida para janeiro de 2022.

A notícia, é que aconteceu na quinta-feira (11) uma reunião na Secretaria Estadual de Educação e do Esporte, onde ficou decidido o novo calendário na área da educação para 2022.

Pelo calendário apresentado pela Secretária de Estadual de Educação, as férias terminarão no dia 23 de janeiro. No dia 24, iniciará a distribuição de aulas.
Datas do calendário:
23/12/21 a 23/01/22 – férias
24/01/22 a 02/02/22 – distribuição de aulas
31/01/22 a 02/02/22 – distribuição de aulas PSS
03/02/22 e 04/02/22 – Dias de Estudo e Planejamento
07/02/22 – Início do Ano Letivo 2022

De acordo com informação, para amenizar o impacto entre os educadores, a informação é que as distribuições de aulas, os professores não precisarão se deslocar até à escola. Nesse ano a distribuição será realizada via Meet. Indo ou não nas escolas, na prática os professores terão suas férias interrompidas. Segundo um professor, “o processo de distribuição de aulas é um processo tenso, ardoroso e que envolve a organização da vida dos trabalhadores.”

A medida arbitrária do governo Ratinho, que passa por cima de uma legislação, transformando os dias de recesso em férias, o que contraria o Plano de Carreira do Professor.

O Artigo 32: As férias do Professor serão de 30 (trinta) dias consecutivos, segundo o calendário escolar elaborado de acordo com as normas previstas em lei.
Parágrafo único – Os Professores em exercício nos Estabelecimentos de Ensino terão direito, além das férias previstas no caput deste artigo, a um recesso remunerado de 30 (trinta) dias, condicionado ao cumprimento do calendário escolar, composto de 200 (duzentos) dias letivos e 10 (dez) dias destinados a atividades de formação continuada.

Acompanhe o vídeo

Clique aqui para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo