Internacional

Protestos perdem força após tropas de choque e 500 detidos na Holanda

Manifestantes em protesto contra o toque de recolher em Amsterdã, Holanda, janeiro de 2020 (Foto: Reprodução/Twitter/ NieuwsUpdatesNL)

s protestos que movimentaram diversas cidades da Holanda desde o último domingo perderam força nesta terça-feira (26). Decretos de emergência e uso de tropas de choque contiveram milhares de manifestantes.

Os comícios pediam pelo fim do toque de recolher imposto no sábado (23), medida para evitar o avanço de contágios da Covid-19 no país. Mais de 500 pessoas foram detidas nos três dias de manifestações, disseram autoridades.

Em algumas regiões, o comércio fechou mais cedo. O governo concedeu maior poder às Forças Armadas em resposta aos protestos. O uso da força não foi necessário, disse o chefe da Polícia Nacional, Willem Woelders, à Reuters.

“Foi realmente diferente da noite de segunda-feira”, afirmou. Segundo ele, a dispersão de milhares reunidos nas ruas de Amsterdã e Hilversum foi pacífica assim que o toque de recolher entrou em vigor às 21h (16h no horário de Brasília).

Os protestos atingiram o ápice na noite de segunda-feira, quando os manifestantes incendiaram veículos, atiraram pedras e promoveram saques generalizados em diversas regiões do país.

Em Amsterdã, grupos de jovens lançaram fogos de artifício, quebraram vitrines e atacaram um comboio da polícia. Dez policiais ficaram feridos em Rotterdã ao tentar conter 60 pessoas que invadiram um supermercado no centro da cidade.

Preocupação com Covid-19

Essa foi a primeira vez que a Holanda implantou um toque de recolher desde a Segunda Guerra Mundial (1939-1945). Apesar da redução de novos casos, o país vive um pico de contágios desde o final de dezembro.

O governo manifestou preocupação com a mutação do vírus identificada no Reino Unido. Escolas e lojas não essenciais já estão fechadas desde o início de dezembro, quando um novo surto de Covid-19 explodiu na Europa.

Bares e restaurantes seguem fechados desde outubro. Apesar dos protestos na Holanda, o bloqueio deve permanecer em vigor até 9 de fevereiro.

Clique aqui para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo