Paraná

Professor sacaneado pela SEED pede ajuda

Notebook e internet pagos pelo professor.

 No início dessa semana, o Blog do Take foi a Curitiba, distante de Maringá 425,4 km, para conhecer a realidade de um professor do Quadro Próprio do Magistério, que desde o ano passado, vem sofrendo financeiramente, com mais de 50% do seu salário sendo descontado, pela Secretária de Educação do Estado do Paraná, desde abril de 2020.  Isso parece se tratar de perseguição a um funcionário público do Paraná.  

 Esses descontos, segundo alega o professor Fernando Rocha Alves dos Santos, de geografia, teve cinco meses de faltas consecutivas, descontadas de sua folha de pagamento apontados pela direção da escola onde lecionava. As faltas foram apontadas de forma irregular, nunca faltou aos seus compromissos.  

 Até o momento, foram subtraídos de sua conta o total de R$ 19.593,00 em descontos por faltas atribuídas injustamente. Em posse dessa informação o Blog do Take, tentou contato com a Secretária de Educação, em Curitiba, mas sem sucesso.   

 Para rebater a falta de responsabilidade desta secretaria de educação, que prejudica financeiramente um professor injustamente, Fernando Rocha Alves dos Santos diz que tem como provar, que sempre esteve na ativa, que a direção da escola onde atuou falta com a verdade perseguindo-o sem motivo.  

Os problemas iniciaram em Guarapuava, onde o professor tinha seu padrão. Como o professor não morava na cidade, vindo de uma outra localidade, precisou pagar aluguel, internet, água, luz e alimentos; e tudo custo caro, ainda mais em tempos de pandemia.  

 A residência onde vive Fernando Rocha Alves dos Santos, é simples, não tendo nada de luxo e moderno. O mais luxuoso é o notebook e o modem de internet, o detalhe: o aparelho para conexão é cedido pela operadora em comodato, que, sem isso, não teria como estar conectado a serviço de seus Algozes, que andam se aproveitando dos seus conhecimentos 

 Com tantos descontos indevidos em seus salários, Fernando Rocha Alves dos Santos, recebeu um pouco mais de R$ 1.000,00 no último mês, quantia que não dá para pagar as contas e comprar alimentos, ficando impossível sobreviver com tão pouco.   

 Segundo ele, os desmandos da Secretária de Educação são grandes e ninguém resolve as questões pendentes. Em sua afirmação, garante que já faz mais de 170 dias que deu entrada num pedido de revisão, via e-protocolo e que, até agora, não teve nenhuma solução e nem um retorno de quem está fazendo a análise do processo.   

 “Se não resolver a minha situação, entrarei no desespero, não tenho dinheiro para pagar as minhas despesas” – em declaração ao Blog do Take.  

 O professor Fernando Rocha Alves dos Santos, clama por socorro e pede a ajuda das pessoas que possam auxilia-lo nesse momento tão complicado em sua vida. Duvidas entrar em contato com ele pelo fone (43) 99952 3597.  

 Numa tentativa de ouvir a SEED-PR, o Blog do Take, tentou contato pelo telefone (41) 3340-1500 e não foi atendido. Foram feitas mais de cinco ligações.   

 Também foi tentado contato com o diretor geral da educação, Gláucio Dias, mas sem sucesso.  

 O Blog do Take, uma resposta das autoridades competentes, pois o professor está sendo prejudicado na esfera financeira e moral e essas coisas, poderão acarretar uma ação de danos morais ao estado do Paraná. 

Confira na galeria os documentos que serve como base para a reclamação do professor

Clique aqui para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo