Maringá

Prefeitura de Maringá conclui que 30% das pessoas podem migrar do carro para o deslocamento a pé

A Prefeitura de Maringá apresentou na noite de  terça-feira (27) o Diagnóstico e Prognóstico do Plano de Mobilidade Urbana (PlanMob). “Temos dados interessantes e outros que vamos estudar para saber como aplicar ou resolver”, comentou o secretário de Mobilidade Urbana, Gilberto Purpur. Entre os dados, está a indicação de que 30% das pessoas migrariam do carro para o deslocamento a pé para algumas atividades, passeios e compras se houver segurança, sombra, sinalização e calçadas em boas condições.

Hoje, os deslocamentos em Maringá. São 32% não motorizados, sendo 25% a pé e 7% de bicicletas. Entre os 68% motorizados, 37% usam automóveis, 18%  transporte público, 8% motocicletas, 2% veículos de aplicativos, 1% fretado e 1% escolar. As pesquisas e análises do PlanMob levaram em consideração a estimativa do Plano Diretor de aumento populacional de 68.777 habitantes em Maringá na próxima década.

A apresentação dos dados inéditos foi feita pelo diretor da empresa Cidade Viva, Ricardo Mendanha. As informações serão usadas pela Secretaria de Mobilidade Urbana para ações no trânsito nos próximos dez anos. Ele ressaltou que Maringá possui calçadas em quantidade e qualidade muito acima da média nacional. Também destaque para a sinalização, uso de bikes e disponibilidade de ciclovias.

Gilberto Purpur ressalta que os usuários não reclamam da qualidade do transporte coletivo e sim do tempo de espera e dos horários. Ele lembra que Maringá possui muitos cruzamentos, semáforos e conversão à esquerda. São características de uma cidade que tem muitas avenidas. “Temos que oferecer alternativas e é isso que o PlanMob vai nos ajudar”, concluiu Purpur. Na manhã de hoje (28) a Cidade Viva apresentou os dados do plano para a equipe que trabalha no Plano Diretor.

INTERAÇÃO – A apresentação de ontem foi híbrida e contou com metalinguagem, sendo transmitida pelo YouTube e Google Meet, ainda com interação pelo whats app. Houve participação presencial restrita em Maringá, Iguatemi e Floriano. Também participaram o secretário de lnovação, Aceleração Econômica, Turismo e Comunicação, Marcos Cordiolli, a diretora do Instituto de Pesquisa e Planejamento, Bruna Barroca, a gerente de projetos de Mobilidade, Elise Savi, e o vereador Paulo Biazon.

Entre os questionamentos do público estavam novas ciclovias, convergência com outros planos, tarifa do transporte coletivo, educação no trânsito, uma alternativa aos carros, ciclofaixa compartilhada com menor velocidade para carros, entre outros.

A agenda do PlanMob indica a elaboração das diretrizes e propostas em agosto e a produção do Plano de Mobilidade para ser entregue para a Prefeitura em setembro.

• Confira o site do PlanMob .

 

Prefeitura de Maringá conclui que 30% das pessoas podem migrar do carro para o deslocamento a pé
Clique aqui para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Most Popular

Topo