Educação

O Bolsonaro das Araucárias fecha contrato milionário com empresa, cujos proprietários respondem a processos por improbidade administrativa

Envolvimentos na máfia dos uniformes em São Paulo, os responsáveis pela empresa respondem processo por improbidade administrativa, na região norte do país, e detém quase 20 CNPJs; a atitude mostra a honestidade do grupo

A impressão é que o governo de Carlos Massa Ratinho Junior (PSD) perdeu o bom senso e quem vai pagar a conta pelos erros praticados pelo atual gestor, é o povo do Paraná. Diga-se, de passagem, uma conta que vai ser difícil de digerir. A compra de uniformes para os alunos das escolas cívico militares acaba de acender a luz vermelha e a indicio de corrupção. Por onde anda os nobres deputados estaduais que não estão vendo o que está acontecendo na sombra do poder no estado?

Enquanto o governo do Paraná, recusa, fazer a reposição salarial dos funcionários dos públicos, gasta 40 milhões de reais em contrato, para atender a demanda das escolas cívicos militares, para uniformizar os alunos das tais instituições, em detrimento de outros alunos espalhados pelo estado, nas escolas estaduais, que não tem direito ao privilégio do governador Carlos Massa Ratinho Junior em bancar os uniformes.  Não assumi nem as reformas necessárias nas instituições de ensino, já que várias tem problemas de infraestrutura e Internet ruim, pois deixa de atender várias escolas.

As desculpas para fazer a reposição para os funcionários públicos são várias, mas para comprar demasiadamente e para promover a atração de empresas privadas em solo paranaense e incentivar isenção fiscal de empresas privadas, abrindo mão de milhões em imposto estaduais, esse governo faz, prejudicando o bom andamento das políticas sociais do Paraná.

Quem vai entregar os uniformes dos alunos das escolas cívicos militares é a empresa Triunfo Comercio e Importação, foi a vencedora licitatório.  Enquanto isso, os professores e funcionários de escolas estaduais segue sem a tão sonhada reposição. Um duro golpe!

Num levantamento realizado por um órgão de imprensa, foi constatado que os proprietários da empresa em questão, são sócios de quase 20 CNPJs e uma extensa ficha corrida, incluindo envolvimento na máfia dos uniformes em São Paulo. Os responsáveis, pela empresa respondem processo por improbidade administrativa pelo MP de Roraima, multas milionárias e entregas fraudulentas. Da mesma forma, o atual secretário de educação do Paraná, Renato Feder(foto) vem respondendo processos em todo o Brasil.

Clique aqui para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo