Educação

Inimigo da educação pública: Ex-governador, que ordenou o ataque aos professores, vai disputar uma vaga de deputado federal

 Em 2015, o então governador Beto Richa teria pago um helicóptero para jogar bombas nos professores que estavam, em frente ao Palácio Iguaçu, em manifestação contra o desmonte da previdência do funcionalismo público do Estado do Paraná

O ex-governador Beto Richa (PSDB) visitou, na sexta-feira (15) o município de Arapongas, onde foi recebido pelo prefeito Sérgio Onofre; o prefeito que recepcionou o ex-governador como se fosse uma autoridade constituída pelo voto; diferente de recepcionar um amigo para um papo descontraído. A agenda com o ex-governador foi política, projetando Beto Richa para uma das vagas do Paraná, para deputado federal.

Beto Richa e o deputado estadual Tiago Amaral, participaram de uma reunião com vários prefeitos e ex-prefeitos das microrregiões da Amepar e da Amuvi e todos solidários com a pré campanha do ex-governador.

O que o prefeito esqueceu do Massacre no Centro Cívico, em 29 de abril de 2015, que ocorreu no mandato de Richa a frente do governo do Paraná, e das denúncias de corrupção de todos os lados,.como de improbidade administrativa e da investigação do quadro negro, onde foram desviados milhões das construções e reformas das escolas do Paraná.

Na recepção ao ex-governador, essa turma de abastados e que tiveram sorte na vida, esqueceram dos pacotes de maldades praticados por Beto Richa a frente do órgão governamental. O setor previdenciário, onde os funcionários públicos perderam o direito a sua aposentadoria por um projeto de lei aprovado durante a sua gestão que permitiu que o governador tomasse de assalto os valores depositados no ParanaPrevidencia, dinheiro que era para a aposentadoria futura dos professores e dos demais funcionários do estado.

Os ataques aos professores, que estavam em greve na porta do Palácio Iguaçu em 2015, pedindo que o então governador, pagasse a reposição inflacionária e não desmontasse a Previdência da categoria, foram realizados pelos policiais, a mando do governador, e por um helicóptero, que jogava bombas nos educadores .

Agora, como se nada tivesse acontecido, Beto Richa vem percorrendo o Paraná dizendo que as lideranças regionais estão exigindo que ele dispute uma vaga de deputado federal. Mais uma mentira deslavada de um ex-governador que tenta a todo custo fugir da punição do judiciário.

 

Beto Richa foi a Arapongas a convite do prefeito Sérgio Onofre, e com certeza, aprovou a atitude do ex-governador em mandar descer a borracha nos professores e funcionários públicos, como se fossem bandidos. O ato inconsequente do ex-governador, até hoje, deve doer na alma e no corpo de quem apanhou da polícia a mando do Beto Richa e de seu grupo, além de ser lembrado por todos os professores e funcionários, já que usurpou de todo o dinheiro da aposentadoria, da ParanaPrevidencia.

Cabe ressaltar que, acompanhou Beto Richa nessa visita, o deputado estadual Tiago Amaral, que também fazia parte do núcleo duro dos poderosos, que sempre votaram contra os professores, que sempre foram contrários a maioria da população. Estar do lado de Beto Richa só demostra o tipo de político que é Tiago Amaral.

O que essa gente precisa explicar para a população e principalmente para os funcionários públicos e para os professores, é o escândalo que atingiu o ex-governador em 2018, que envergonhou grande parte do povo paranaense, com a notícia em que estava envolvido em corrupção que abalou a estruturas governamentais e o tirou fora do pleito para o senado.

Beto Richa mente quando diz que “Todas as acusações contra mim caíram por terra ou estão caindo. Infelizmente, nem minha família foi poupada. Minha disposição de voltar à política é justamente para resgatar o legado da minha família”.

Acompanhando os processos do quadro negro e tantos outros em que Beto Richa é réu, a informação é que ele está recorrendo e alguns estão migrando do judiciário para o eleitoral.

Na verdade, Beto Richa e aqueles que facilitaram a corrupção no seu governo, deveriam estar presos e não percorrendo o estado do Paraná, como se fosse um imaculado, se colocando como candidato a um cargo público.

Por isso, quem apoia um ex-governador com o histórico de Beto Richa, é conivente com os crimes praticados contra a população e deveriam estar trancafiados numa cela, bem longe do povo do Paraná.

Essas atitudes só demostra que o povo não sabe o valor do voto e por isso escolhe qualquer um. Fora Beto Richa! O Paraná, não merece ser representado por um político que teve a sua bibliografia manchada pela suspeita de atos corruptos em Brasília.

 

Clique aqui para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo