Brasil

Gasolina 13% nas refinarias em 2021 e deve ter outros reajustes durante o ano 

© Getty Images

No final de janeiro e início de fevereiro, a Petrobras já anunciou dois aumentos para a gasolina e um para o diesel para esse ano, que teve o seu início a 34 dias.   

 O primeiro reajuste de 7,6% que foi anunciado em 8 de janeiro e último já no final do mês passado (26) de 5%, a gasolina acumula durante o mês de janeiro cerca de 13% de alta nas refinarias.  

O diesel, que está no centro das discussões dos descontentamentos dos caminhoneiros de todo o brasil, levou a paralisações isoladas nos últimos dias pelo país afora, foi reajustado em 4,4%. 

Os analistas apontam que vem mais alta de preços dos combustíveis por aí, um dos pontos apontados é que os valores praticados pela Petrobras no mercado interno estão abaixo do praticados no mercado internacional, que é usado como referência para os reajustes da estatal. 

O aumento esperado dos preços reflete a expectativa de valorização do barril do petróleo, diante da previsão de manutenção da oferta restrita pela Opep (Organização de Países Exportadores de Petróleo) e Rússia; aliada ao crescimento projetado da economia mundial, com o avanço da vacinação contra a covid-19; e à incerteza com relação ao câmbio, diante do desequilíbrio das contas públicas nacionais. 

 

Gasolina, diesel e o bolso do consumidor 

Para o consumidor final, a expectativa dos analistas é de uma alta entre 8% e 10% do preço da gasolina neste ano e um pouco menor o diesel, devido à sensibilidade política do reajuste desse combustível desde a greve nacional dos caminhoneiros de 2018. Portanto, todos serão penalizados pelo aumento da Petrobrás. Quanto ao salário mínimo de referência nacional, esse não pode ter aumento.  

 

Clique aqui para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo