Brasil

Estudante cria projeto para incentivar enxadristas de escolas públicas

Objetivo do projeto é fomentar o esporte e viabilizar a participação em competições

Há 5 anos a aluna da 3ª série do Ensino Médio do Colégio Santo Américo, Aine Carolina Lima ensina xadrez para alunos de escolas públicas junto com seu irmão, Vinicius Lima.

Campeã brasileira de xadrez e medalha de prata no campeonato sul-americano, Aine decidiu ensinar xadrez para crianças e jovens de escolas públicas como forma de incentivar a prática do jogo. “O xadrez é um esporte importante para o desenvolvimento do raciocínio lógico, criatividade a tomada rápida de decisão. Por ser uma enxadrista, decidi compartilhar meu conhecimento e minha paixão pelo xadrez com outros jovens e incentivá-los à prática do esporte”, afirma Aine Carolina Lima.

Logo no início de sua jornada como professora de xadrez Aine ficou surpresa com a quantidade de crianças e jovens interessados no aprendizado e com os talentos que existem nas escolas. “Foi uma grata surpresa ver tantos talentos e, ao mesmo tempo, foi frustrante saber que esses jogadores não conseguiam participar de torneios por falta de apoio financeiro. Foi por isso que criei a Fundação Dominaris: para viabilizar a participação desses enxadristas nos principais torneios e competições”, diz a aluna do Colégio Santo Américo.

A iniciativa da jovem estudante deu tão certo que hoje a Dominaris conta que enxadristas de destaque e premiados em diversas competições. Há 15 dias a Fundação levou uma equipe de 16 atletas para participar do Campeonato Paulista de Xadrez realizado na Associação de Pessoal da Caixa Econômica Federal, em São Paulo. “O evento é considerado um dos mais difíceis do país e nossa equipe conquistou uma medalha de ouro e um disputado 4º lugar. Foi emocionante”, conta Aine.

A Fundação Dominaris tem, hoje, 40 crianças e jovens de 7 a 18 anos inscritos nas aulas e, nesse momento, está em campanha para arrecadar dinheiro para a participação de 15 enxadristas no Campeonato Brasileiro que será realizado em setembro, em Minas Gerais.

Para saber mais sobre o projeto, acesse www.dominaris.com

Sobre o Colégio Santo Américo

Fundado em 1951 por monges beneditinos húngaros, o Colégio Santo Américo atende alunos do Ensino Infantil, Fundamental Anos Iniciais, Fundamental Anos Finais e Ensino Médio. Mantido pelo Mosteiro São Geraldo de São Paulo, o colégio é reconhecido com o Selo da Unesco e oferece a seus alunos o ambiente ideal para a formação humana, acadêmica, esportiva e cultural. Desde 1963 o Colégio Santo Américo ocupa uma área de 64 mil m² no bairro Morumbi.

Clique aqui para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo