Brasil

Diretor-geral do INPI francês vem ao Brasil para firmar acordos bilaterais e participa de seminário sobre desafios da propriedade intelectual e trava retomada da economia

Evento acontece no dia 16/3, no auditório do Licks Attorneys, no Rio, reunindo governos, empresas e universidades dos dois países

A visita ao Brasil, na próxima semana, do diretor-geral do Institut National de La Propriété Industrielle (INPI) da França, Pascal Faure, para a assinatura de acordos bilaterais com o Instituto Nacional da Propriedade Industrial brasileiro, motivou a realização da terceira edição de um seminário voltado a temas de interesse mútuo dos países na área de PI.

O “3° Seminário Franco-Brasileiro – Os Desafios da Propriedade Intelectual” é organizado pelo Centre d’Études Internationales de la Propriété Intellectuelle (CEIPI), da Université de Strasbourg, pela Universidade Cândido Mendes (UCAM) e pela Revue Francophone de la Propriété Intellectuelle (RFPI), com apoio da Embaixada da França no Brasil.

O evento acontecerá no dia 16 de março, das 9h às 17h30, no auditório do Licks Attorneys no Rio de Janeiro, e será transmitido on-line, com tradução simultânea, para os inscritos pelo site lickslegal.webflow.io/seminairefrancobresilien2022.

“A ideia é colocar os profissionais brasileiros da indústria e das instituições públicas em contato com seus pares franceses para discutir os problemas que enfrentamos hoje em dia em termos de propriedade intelectual”, diz Karlo Tinoco, advogado do Licks Attorneys e professor do programa de mestrado da UCAM, que divide a direção científica e a abertura do evento com o francês Yann Basire, Diretor-Geral do CEIPI.

Pascal Faure, o diretor-geral do INPI francês, fará a palestra de encerramento do seminário, na qual deve falar dos acordos bilaterais em discussão e das relações comerciais e governamentais entre Brasil e França.

“A indústria francesa tem uma longa tradição no Brasil, inclusive com a presença de diversos centros de pesquisa e desenvolvimento de novas tecnologias,  e os governos dos dois países têm histórico de colaboração. A França é o país com mais investimento alocado no Brasil, em todos os setores. As 40 maiores empresas da França estão presentes aqui. Culturalmente e industrialmente, temos uma tradição de cooperação entre os países”, conclui Karlo Tinoco.

O INPI brasileiro também estará representado no evento, com a participação de Vinicius Bogéa, Coordenador de Articulação e Fomento à Propriedade Intelectual e Inovação do órgão.

O seminário está dividido em quatro mesas, cada uma focando nos desafios de uma área específica da propriedade intelectual: a primeira tratará de marcas; a segunda debaterá como a reforma do direito de desenhos industriais na Europa pode influenciar o Brasil; a terceira discutirá as formas de combate à pirataria de propriedade intelectual na internet; e a quarta debaterá os desafios contemporâneos do direito de patentes no Brasil e na França.

A lista de participantes inclui, além dos já citados, Audrey Feld (Essilor), Mariana Pimentel (Pernot Ricard Brasil), Roger Nicolau (Grupo Jacto), Fagner Carvalho (Grupo Jacto), François-Xavier de Beaufort (Diretor de Ação Econômica do INPI), Clémence de Marassé-Enouf (Redatora-Chefe da RFPI), Stéphanie Carre (CEIPI), Liliane Roriz (Desembargadora Federal aposentada e sócia do Licks Attorneys), Flavia Mansur Murad (Mansur Murad Advogados), Julien Sicluna (Cabinet Laurent & Charras), Eléonore Gaspar (Duclos Thorne Mollet-Vieville et Associés), Aurélie Guétin (Novagraaf), Roberto Rodrigues (Licks Attorneys), Pedro Vilhena (Mansur Murad Advogados), Flora Donaud (Cabinet Greffe) Enzo Baiocchi (UFRJ è UERJ) e Ricardo Sichel (Unirio e UCAM).

Clique aqui para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo