Brasil

Deputada Flordelis é nomeada para comissão da mulher na Câmara não levando em consideração a suspeita de ter mandado matar o marido

Deputada federal Flordelis também é investigada pela Mesa Diretora da Câmara dos Deputados | Foto: Câmara dos Deputados

 A deputada federal Flordelis (PSD) foi nomeada como titular da Secretaria da Mulher da Câmara, apesar de figurar como ré por suspeita de participar da morte do marido, pastor Anderson do Carmo, assassinado em junho de 2019. A informação está no perfil da parlamentar no site da Casa, divulgada na terça-feira (2). Parece que aos poucos, a vida da parlamentar volta na normalidade.

A deputada federal e cantora gospel também é investigada pela Mesa Diretora da Câmara dos Deputados, por quebra de decoro parlamentar, que pode culminar na perda do mandato. Cabe à Mesa encaminhar ou não o relatório ao Conselho de Ética e Decoro Parlamentar, mas que ainda não foi instalado. 

No dia 19 de janeiro de 2021, a Procuradoria de Justiça deu parecer favorável para afastar a deputada federal Flordelis dos Santos de Souza (PSD) do cargo enquanto durar a primeira fase do processo criminal. A decisão cabe aos desembargadores da 2ª Câmara Criminal. 

O desembargador Celso Ferreira Filho, relator do processo na 2ª instância, determinou que o julgamento do recurso seja colocado em pauta. 

A Revista Veja também mostrou, na terça, que o governo dedicou aproximadamente R$ 10,1 milhões em emendas para a parlamentar. 

De acordo com a reportagem, o Portal da Transparência do governo mostra que os R$ 10,1 milhões foram liberados por meio de emendas parlamentares, mas não é preciso quanto aos valores pagos. 

A matéria também aponta que outros R$ 2,8 milhões, provenientes de emendas em 2020, estavam empenhados, mas não chegaram a ser pagos. 

Crime 

O pastor Anderson do Carmo, marido da cantora e deputada federal Flordelis, foi morto na madrugada de 16 de junho de 2019, em Niterói. 

A parlamentar Flordelis e mais 10 pessoas foram indiciadas pelo assassinato do marido. Em sua alegação se declara  inocente e diz que é alvo de uma trama. 

No ano passado, no dia 18 de setembro, o uso da tornozeleira eletrônica por Flordelis foi determinado pela juíza Nearis dos Santos Carvalho Arce, da 3° Vara Criminal de Niterói (RJ). Na ocasião, a magistrada impôs recolhimento domiciliar noturno, obrigando a deputada a permanecer em casa das 23h às 6h. 

Pastora evangélica e cantora gospel, Flordelis recebeu 196.959 votos no primeiro mandato, sendo a quinta mais votada no Rio de Janeiro, com 2,55% dos votos válidos no estado. Ela já havia sido candidata em 2004 à vereadora em São Gonçalo (RJ), pelo então PMDB. 

Anderson e Flordelis são pais de 55 filhos, sendo quatro biológicos. Eles moravam na comunidade do Jacarezinho quando adotaram, de uma vez, 37 crianças – todas sobreviventes de uma chacina ocorrida na estação Central do Brasil. De acordo com a deputada, essa é a sua maior bandeira. 

 

Clique aqui para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo