Internacional

Cristian Ribera e Aline Rocha são top 10 no sprint nos Jogos de Pequim 2022; confira a participação brasileira na quarta-feira, 9

Cristian (à esq.) cumprimenta Ivan Golubkov, do Comitê Paralímpico Russo, após prova na Noruega | Foto: Divulgação/Para Snow Sports

Rondoniense e paranaense, que participam pela segunda vez de uma edição de Jogos Paralímpicos de Inverno, chegaram até as semifinais. Todos os esquiadores brasileiros voltarão às pistas no próximo sábado, 12

Os cinco esquiadores brasileiros nos Jogos Paralímpicos de Inverno 2022 disputaram as provas rápidas (sprint) de esqui cross-country na noite desta terça-feira (no Brasil), 8, e madrugada de quarta-feira, 9.

Na disputa masculina, o rondoniense Cristian Ribeira, 19, que é o atual vice-campeão mundial da prova, chegou até a semifinal e terminou em 9º lugar, com o tempo de 2min59s8 nesta fase.

Já na prova feminina, a paranaense Aline Rocha avançou até a semifinal e terminou em 10º lugar. Nesta fase, ela percorreu o trajeto em 3min55s2. No total, 16 atletas participaram da competição.

O Brasil ainda foi representado pelo paraibano Robelson Lula e os paulistas Guilherme Rocha e Wesley dos Santos. Robelson terminou a competição em 18º lugar, com o tempo de 2min34s19. Guilherme, por sua vez, ficou na 21ª posição (2min36s77), e Wesley finalizou a prova na 24ª colocação (2min39s14). Ao todo, 36 atletas estiveram na disputa masculina.

As provas de sprint, mais uma vez, foram caracterizadas pelo domínio chinês. Cristian, por exemplo, passou com o quinto melhor tempo na classificatória e, ao completar o percurso de 961m, comemorou. À frente dele, chegaram três chineses e um canadense. Para a disputa da medalha, o país anfitrião colocou quatro dos seis postulantes a um lugar no pódio.

No fim, os medalhistas do sprint foram os mesmos da prova longa: dobradinha chinesa com Peng Zheng (ouro) e Zhongwu Mao (prata), além do bronze para o canadense Collin Cameron.

“Eu disse ontem [terça-feira] que não existiam favoritos, mas com o pessoal da China, tem sim. Eles vieram muito fortes, a prova estava muito difícil e muito disputada. A neve estava diferente da qualificatória, o sol apareceu, derreteu um pouco a neve, mudou muito a condição, a gente mudou os esquis. Fiz uma boa subida, mas fiquei em dúvida lá na parte alta. Saí do trilho do esqui para testar a neve, mas não foi bom, e os caras já estavam muito perto, era quase inevitável. Não foi suficiente desta vez, mas vou treinar para as próximas vezes”, disse Cristian, na zona mista.

No feminino, as chinesas também fizeram apresentações marcantes, mas enfrentaram a forte resistência das atletas dos Estados Unidos. Oksana Masters e Kendal Gretsch disputaram a mesma bateria semifinal de Aline e reinaram. Aline havia estabelecido, antes da prova, que tinha como objetivo chegar à semifinal, visto que as provas de sprint não são suas favoritas – suas melhores performances ocorrem nas de 7,5km (meia distância), que, em Pequim, serão na madrugada do sábado, 12.

“Esta foi uma das provas mais difíceis que disputei. Nas etapas de Copa do Mundo que participei, não havia participação das chinesas. Às vezes, não havia americanas. No entanto, aqui, estavam todas as melhores. Já bate aquela adrenalina, ansiedade. Mesmo sendo uma das provas mais difíceis, foi também uma das melhores. Passar para a semifinal com quantidade de atletas em disputa, estou muito feliz”, comemorou a paranaense de Pinhão, cidade de 30 mil habitantes a 300 quilômetros de Curitiba.

O pódio feminino foi formado pela chinesa Hongqiong Yang (ouro), pela norte-americana Oksana Masters (prata) e pela também chinesa Panpan Li.

Todos os cinco esquiadores brasileiros já haviam disputado a prova longa na noite de sábado, 5, e madrugada de domingo, 6. À ocasião, na competição masculina, Cristian ficou em 14º, enquanto Guilherme terminou em 19º, seguido por Robelson, 20º, e, por fim, Wesley fechou a disputa na 23ª posição.

Aline ficou em sétimo lugar na prova feminina, alcançando o segundo melhor resultado brasileiro na história dos Jogos de Inverno – apenas um posto abaixo do feito de Cristian Ribera na prova de longa distância dos Jogos de 2018, quando foi o sexto colocado.

Esta é a terceira participação do Brasil em Jogos Paralímpicos de Inverno. Em Sochi 2014, na estreia brasileira no evento, foram dois representantes. Na cidade coreana de PyeongChang, quatro anos mais tarde, três.

Próximas provas com brasileirosOs cinco esquiadores brasileiros voltarão às pistas no próximo sábado, 12, a partir de 1h30, nas provas de média distância de esqui cross-country (7,5km para mulheres e 10km para homens). No mesmo dia, às 23h, o Brasil também será representado no revezamento misto da modalidade.

Depois de ficar em 13º no snowboard cross, o gaúcho André Barbieri também vai entrar em ação novamente, mas, desta vez, na categoria banked slalom, a partir de 0h (de Brasília) de sexta-feira, 11.

Confira a programação completa dos atletas brasileiros até o fim dos Jogos Paralímpicos de Inverno Pequim 2022 e onde assistir:

Sexta, 11 de março0h – Finais do snowboard banked slalom (André Barbieri).Flashes no SporTV 2

Sábado, 12 de março1h30 – Finais do esqui cross-country masculino e feminino média distância (Aline Rocha, Cristian Ribera, Guilherme Rocha, Robelson Lula e Wesley Santos);23h – Revezamento misto do esqui cross-country.Ao vivo no SporTV2

Domingo, 13 de março9h – Cerimônia de encerramentoAo vivo no SporTV2

Clique aqui para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo