Educação

Confusão num dos maiores colégios estaduais de Maringá poderá parar na ouvidoria do Núcleo Regional de Maringá

A interferência de um deputado estadual de Maringá agrava o caso

Parece que a confusão continua no Instituto Estadual de Educação de Maringá, após o pleito eleitoral, que aconteceu a algumas semanas atras. A chapa 2, entrou em rota de colisão com a atual diretoria, por não estar trabalhando para a renovação do seu mandato. Dizem ainda que trabalhou para que os pais e professores não viessem votar,  por esperar a indicação do Deputado Estadual Doutor Batista, para continuar no cargo, mesmo perdendo a eleição, já que,  não  atingiu o quórum de votantes, o cargo seria ocupado por alguém indicado pela chefia do Núcleo Regional.de Maringá.

Com o enredo criado pelos envolvidos, se realmente acontecer o que estão proclamando, que o  deputado teria garantido esse cargo ao atual diretor, será  um duro golpe a democracia estudantil, já que o que valera  será o apadrinhamento político.

A bandeira levantada pelos professores e que tem deixado a maioria descontente, com a volta as aulas, que aconteceu na segunda-feira (02) de forma presencial, é falta dos equipamentos básicos que na propaganda oficial dizem que estão nas escolas e prontos para o uso.

Segundo os envolvidos, a propaganda feita pelo governo de que as escolas estão seguras e garantindo o distanciamento, bem como  fazendo o uso das medidas de proteção é uma mentira, que no Instituto de Educação de Maringa falta o mínimo, como álcool em gel, para assepsias das mãos.

O que vem deixando os educadores preocupados é que houve casos de funcionários da instituição positivados pela variante do covid-19, que vem deixado a equipe profissional com um pé atras. Cautela sempre é bom.

Nos relatos de um grupo de funcionários, que entrou em contato com o Blog do Take, denunciou que o Instituto de Educação de Maringá, continua funcionando sem as devidas medidas seguranças sanitárias , que a falta  equipamentos como: luvas, máscaras, álcool e gel, são constantes.

Se for verifico, onde está o deputado estadual que quer se meter na eleição da escolha do diretor do Instituto Estadual de Educação de Maringá, que a todo custo quer atropelar o processo democrático?  Porque não presta um trabalho para a instituição e intermedia a compra dos produtos para garantir a segurança dos professores, alunos e dos demais funcionários?
Na segunda-feira (02) houve em reunião, em que foi escolhida uma equipe e foi feita a elaboração de uma carta de reivindicação que em breve vai chegar nas mãos da chefia do Núcleo Regional de Maringá, pedindo providencias.

Segundo o grupo de educadores, “é um descaso da Secretária de Educação e da direção da escola. Pela falta de atenção, somos obrigados a gritar para sermos ouvidos” – diz um professor.

O temor da maioria é que teve pessoas que testaram positivo para o coronavírus, do ano passado para cá e a atual direção, não se manifestou. Para os professores, a  direção, deveria vir a público e se manifestar sobre os ocorridos.

Durante a manifestação, que deve ocorrer em breve, os professores e os de mais funcionários do Instituto de Educação de Maringá, vão demostrar o descontentamento e não pretendem aceitar as indiferenças e o silêncio da atual direção um dos maiores colégios estaduais de Maringá,  em enfrentar o problema da falta de material básico e o afastamento de funcionários que a maioria acredita estar com covid.

“Pretendemos denunciar as condições das salas de aulas, a falta de equipamentos para as aulas híbridas e a higienização de todos os ambientes que está precário por falta de funcionários” – aponta uma professora.

Confusão num dos maiores colégios estaduais de Maringá poderá parar na ouvidoria do Núcleo Regional de Maringá
Clique aqui para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Most Popular

Topo