Paraná

As reclamações de deputados estaduais, professores, pais e alunos, contra as atitudes de Renato Feder: a briga chegou à Comissão de Educação da ALEP

Carta Capital

 Um dos pontos que a população, do Paraná, jamais vai entender, é porque o Secretário da Educação Renato Feder não foi exonerado, já que desde que assumiu a Secretária de Educação do Paraná, só causou confusão com os professores e com o chefe do executivo.  

 Parece que a proteção de Renato Feder é grande e exerce um poder sobre o governador Carlos Massa Ratinho Junior (PSD). De quem partiu sua indicação 

 Segundo um jornal de Curitiba, há muitas reclamações e, com um clima todo favorável, a denúncia contra Renato Feder.  

 Recentemente chegaram as mãos dos deputados estaduais, na Comissão da Educação da Assembleia Legislativa do Paraná, documentos que contestam a desastrosa gestão de Renato Feder, a frente da pasta no Paraná. Será que vai ficar por isso mesmo? Quais as atitudes que os parlamentares que compõem a Comissão de Educação vão tomar?  

 Um dos pontos mais grave, apontado por membros do legislativo, que faz três meses que o ano 2021 teve início, mas que a Secretária de Educação, que tem o Renato Feder a frente, não contratou funcionários auxiliares para abrir mais de 1.200 escolas. O estado tem sobre sua responsabilidade 2.150 unidades em todo o Paraná.  

 Segundo informação de uma fonte, em 500 escolas não tem nenhum funcionário, para cuidar da merenda, limpeza dos sanitários e a desinfecção das salas de aulas, em tempo de pandemia.  A conversa que corre nos bastidores, é que o secretário Renato Feder, vai obrigar os professores e os pedagogos, a assumir mais essa tarefa, onerando os educadores de mais uma função, e só pagando pelo padrão contratado.  

 A medida de passar álcool em gel, terá que ser feita em cada mudança de aula e de professores. A orientação é fazer o trabalho a cada 20 minutos. Contribuindo com o combate ao covid-19.  

 “Se não houver o cuidado do estado com o aluno, todos protocolos criados pela Secretaria de Estado da Saúde serão rasgados e vai explodir o número de infectados na comunidade escolar, que hoje envolve quase 3 milhões de paranaenses”, alerta um deputado da base do governo do estado.   

 A informação é que Renato Feder, influenciou o governador Carlos Massa Ratinho Junior (PSD) para anunciar que as escolas paranaenses terão 100 megas de conexão. Mais uma mentira!   

 Acredita-se, que a informação é fruto da imaginação de um parlamentar que deseja limpar a barra do governador com os estudantes e professores, já que o chefe do executivo deseja um novo mandato. Jogar a culpa no seu subordinado é fácil, em vez de assumir o erro.   

 Nos documentos oficiais, somente 15 escolas, em todo o Paraná, conta com os 100 megas de conexão de internet. Nas demais, não chega a 20 megas, o que é baixo para alto tráfego de dados das aulas online.   

 Na base do governo na Assembleia Legislativa Renato Feder é conhecido por Pinóquio, uma alusão às “não verdades” ditas por ele ao governador e aos deputados.  Aonde o Paraná chegou, um mentiroso a frente de um órgão tão sério, como a SEED. 

 O Secretário continua insistindo nas posições arrogantes, como a que teve na reunião dos diretores, na semana passada, sobre a qualidade da internet.   

 Nela, o maioral da educação, disse aos professores, diretores e alunos que “se virem” em se conectar às aulas mantendo as câmeras ligadas”.   

 Na questão de manter as câmeras ligadas, foi tratada, no domingo (28) pelo Blog do Take, como ilegal, que infringe a Constituição Federal e o Estatuto da Criança e do Adolescente. A obrigação de todos os professores e alunos é questionar as ações de um Secretário irresponsável junto ao Ministério Público Estadual. 

1 Comentário

1 Comentário

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo