juliotake

WFM facilita a gestão de Recursos Humanos, diz especialista

A ansiedade foi um entrave para profissionais de gestão de pessoas durante a pandemia; para especialista, ferramenta de WFM é alternativa frente às novas diretrizes para os RH

16/3/2022 – Cada vez faz menos sentido manter processos manuais nos RH, pois estes acarretam maior mão de obra e menos segurança

A ansiedade foi um entrave para profissionais de gestão de pessoas durante a pandemia; para especialista, ferramenta de WFM é alternativa frente às novas diretrizes para os RH

Na esteira das mudanças trazidas pela pandemia de Covid-19, profissionais de empresas de diversos setores do Brasil tiveram que lidar com novas dinâmicas de trabalho, como o home office. Para além do impacto sentido pela maioria dos colaboradores, um estudo da consultoria Mercer Brasil, que investigou efeitos da crise sanitária na jornada de quem trabalha com RH (Recursos Humanos), demonstrou que os profissionais responsáveis pela gestão da força de trabalho também não saíram ilesos à fase mais crítica da pandemia.

Segundo a pesquisa, 64% dos colaboradores que atuam com gestão de pessoas tiveram dificuldade para lidar com a ansiedade. O levantamento “Profissional do RH” identificou que 47% desses funcionários confessaram que não conseguiriam lidar com a ansiedade, 10% afirmaram que foi muito difícil conviver com o transtorno, e 7% contaram que tiveram que buscar ajuda para lidar com o alto grau de dificuldade.

Na perspectiva de Kaleb Costa, Project Manager da SISQUAL WFM, empresa de tecnologia e desenvolvimento de software de gerenciamento de força de trabalho, os desafios enfrentados pelos profissionais fazem parte das chamadas “novas diretrizes para os RH”. Neste contexto, entram em cena inovações como ferramentas de WFM, orientadas para a otimização da força de trabalho, que podem auxiliar o departamento de RH diante de suas novas demandas.

“Entre os principais resultados obtidos pela implementação de uma ferramenta de WFM no Brasil, a inovação oportuniza a redução de horas extras e banco de horas, assim como a baixa significativa em processos trabalhistas e melhoria da qualidade de vida do empregado”, afirma.

Além disso, acrescenta, a tecnologia promove a redução nos custos de adicional noturno, automação de processos manuais e diminuição no gasto das horas mensais com fechamento de ponto, “o que pode trazer mais tranquilidade para quem atua com gestão de funcionários e, por vezes, se sente sobrecarregado”.

WFM atende às principais necessidades de RH

Kaleb Costa explica que a implementação de soluções, como o SISQUAL WFM, atende às principais necessidades do departamento de Recursos Humanos, como a automação de processos – justificativas de ponto, ajustes na escala de papel ou Excel e, até mesmo, programação de férias, entre outros – que antes eram feitos de forma “arcaica” ou em diversos softwares.

“Com uma ferramenta eficiente, todos os processos se automatizam e se unificam em uma única plataforma. Assim, de forma descomplicada, os RH conseguem ‘assistir’ tudo em real time, desde tratativas a serem feitas pelas chefias, trocas de escala e programações de descanso, procedimentos sobre os quais os departamentos não tinham controle devido aos multiprocessos e softwares existentes nas instituições”, explica.

Em resumo, prossegue, a inovação oferecida por ferramentas WFM veio para unificar, agilizar e trazer controle ao RH, oferecendo plataformas intuitivas e dinâmicas. “A tecnologia possibilita uma janela maior para a auditoria dos processos, algo praticamente impossível nos dias de hoje sem os recursos digitais”.

Gerenciamento automático facilita dia a dia empresarial

O Project Manager da SISQUAL WFM destaca que uma das principais dificuldades de empreendedores, líderes e profissionais é a falta de tempo. De fato, quase metade (45%) dos empresários se queixam deste fator, conforme uma pesquisa do Sebrae-SP (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de São Paulo).  “De forma similar, cerca de 56% dos trabalhadores formais estão insatisfeitos com o trabalho, e a falta de tempo e estrutura organizacional estão entre os principais agentes”, afirma Costa, citando dados de uma pesquisa do Instituto Locomotiva.

“A insatisfação, por sua vez, torna-se um fator de risco para a saúde de um negócio, já que um colaborador desmotivado pode ser 125% menos produtivo do que os colegas que se sentem engajados e inspirados”, complementa, mencionando indicativos de um balanço da consultoria de gestão Bain & Company.

Neste cenário, segundo o especialista, uma ferramenta de gerenciamento automático de equipes pode fazer a diferença no dia a dia empresarial. “Além do gerenciamento automático trazer um ganho na produtividade, traz segurança para o cliente, desde uma escolha por competência face a demandas diárias, a uma escolha de folga, baseando-se nos empregados que têm o direito devido a um saldo de BH (banco de horas), ou até mesmo de folgas pendentes”.

O especialista observa que as empresas brasileiras vivem um momento de digitalização de processos. “Aos poucos, os empreendimentos estão percebendo que, em um mundo digital, cada vez faz menos sentido manter processos manuais nos RH – e demais setores -, pois estes acarretam maior mão de obra e menos segurança”.

Na visão de Kaleb Costa, a chamada “virada de chave” no que tange à digitalização dos processos de RH não ocorrerá da noite para o dia. “De todo modo, acredito que até 2027 a maioria das empresas do país terão seus processos manuais extintos. Para tanto, as ferramentas de WFM, como o SISQUAL WFM, desempenham um papel importante, auxiliando na modernização dos processos”.

Para mais informações, basta acessar: https://www.sisqualwfm.com/

Website: https://www.sisqualwfm.com/

Clique aqui para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais acessadas

Topo