Anúncie aqui
Paraná

Escolas abertas durante decreto do governo do estado: de quem partiu a ordem? Do governador ou do secretário da educação?

AEN-PR

A atitude de Renato Feder de manter as aulas durante o tempo em que perdurar o decreto assinado nessa sexta-feira pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior (PSD) tem deixado os pedagogos, professores e funcionários das escolas perdidos e preocupados.  

Os comerciantes de todo o Paraná, estão começando a se revoltar com a atitude irresponsável do governador.   

Pelo decreto, fecha o comércio, obrigando a diminuição de pessoas nas ruas. Já na educação, onde tem uma grande aglomeração de professores e de crianças, adolescentes e jovens, obriga a circulação desse povo nas escolas. Como se a comunidade escolar fosse imune ao coronavírus.  

Mas estranho é que nos serviços ditos essenciais, aqueles em que em caso de greve e de paralisação é obrigatório manter no mínimo 30% dos trabalhadores em atividades, não se encontra na lista, os educadores.   

O que será que acontece? Será que o secretário empresário, Renato Feder, passa por cima da ordem de seu chefe?   

Muitos acreditam que o responsável pela pasta da educação, faz o que o governador Carlos Massa Ratinho Junior (PSD) determina. Portanto, o chefe do executivo é quem realmente odeia a classe do magistério.  

A ordem para manter os educadores em sala de aula foi dado diretamente pelo governador.   

Nesse caso, ele se torna responsável pela circulação e a propagação do vírus entre os professores e consequentemente vai responder pelos óbitos dos educadores, funcionários das escolas e dos alunos.  Vai carregar nas mãos o sangue de inocentes.   

Digno de um julgamento num tribunal internacional acusado de genocídio, por atentar contra a vida daqueles que não podem se defender das atrocidades de um mostro inconsequente.    

Em nota emitida agora a tarde, sobre o Decreto Estadual 6.983 do governo do Estado do Paraná e a orientação n° 18, APP – Sindicato, afirma que não deverá acontecer atendimento ao público nas escolas estaduais, devido as medidas adotadas contra a disseminação da covid-19.  

Com documentos em mãos, o órgão que representa os professores contesta as orientações dos Núcleos Regionais de Educação, para que as pedagogas, professores e funcionários realizem trabalhos presenciais nas escolas estaduais, em contramão a decisão do governo do Paraná.  

  

Acompanhe a nota   

Caras(os) professoras (es) pedagogas (os) e funcionários (as) de escolas  

Em observação ao Decreto Estadual 6.983 do governo do Estado do Paraná e Orientação n° 18 da DEDUC/ SEED, reforçamos que não deverá ocorrer atendimento ao público nas escolas estaduais na semana de 01 a 05 de março devido às medidas restritivas contra a disseminação da COVID 19.   

Dessa maneira a APP Sindicato com base nos documentos oficiais vigentes contesta as orientações dos Nres para que as (os) professoras (es) pedagogas (os) e funcionários (as) realizem trabalho presencial na escola e atendimento ao público, uma vez que essas orientações estão na contramão das determinações do governo do Estado, que estabeleceu o fechamento das escolas, repartições públicas e priorização do trabalho home office.  

A APP Sindicato já está em contato com a SEED para fazer valer o cumprimento do decreto.  

Em casos de desrespeito ao decreto estadual utilize o canal de denúncias da APP para enviar relatos e fotos: denuncia@app.com.br  

 

Curitiba, 26 de fevereiro de 2021.  

 

Coordenação do Departamento de Professoras(es) Pedagogas(os) da APP Sindicato 

Clique aqui para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Anúncie aqui
Topo